Dec 31, 2008

Pardieiros

Este recanto da aldeia de Pardieiros na Beira Alta foi pintado a partir de uma sugestão dum leitor Pardieirense. Como eu não tinha um foto adequada, tomei a liberdade de roubar uma no Beijós-Cinco-Aldeias. Adicionei alguns detalhes (pessoas) e subtraí outros (tais como fios eléctricos). Obrigado ao leitor, ao Willoughby e ao Pardieirosonline.

This spot in the village of Pardieiros, Beira Alta was painted at the suggestion of a local resident. As I had no suitable photo, I borrowed one from Beijós-Cinco-Aldeias. I added some details (people) and removed others (such as electrical wires). My thanks for the suggestion, to Willoughby and to Pardieirosonline.

Aguarela, 20 x 26 cm, Papel Fabriano.

Dec 27, 2008

Serra do Caramulo

Esta vista tornou-se possível devido a um fogo florestal que dizimou os pinheiros que antes a ocultavam. Com um pouco de sorte, em poucos anos os pinheiros voltarão. Penso que a longínqua povoação é Tondela.

This sight came to be because a forest fire destroyed the pine trees that used to hide it. With a little luck, the pines will be back in a few years. The barely visible village in the far distance is probably Tondela.

Aguarela 13x18 cm, Papel Fabriano

Dec 21, 2008

Chuva em Serpa

Continuando pelo Alentejo, estamos agora mais perto da vila de Serpa onde a chuva – normalmente escassa - está a caír.

Continuing through Alentejo, we are now closer to the village of Serpa where the rain – normally scarce – is now falling.

Aguarela, 22x30 cm, Papel Fabriano

Dec 18, 2008

Monte Alentejano

Este Monte Alentejano tem um significado especial por qualquer razão…fica situado perto da belíssima vila de Serpa. Á direita avista-se o forno para confecionar o bom pão Alentejano.

This “Monte” or “Hill” meaning a typical homestead in the Province of Alentejo, traditionally on a hill, has a special meaning for some reason…it is located near the utterly beautiful village of Serpa. On the right we can see the country wood oven used to bake the great local bread.

Aguarela, 20x25 cm sobre papel Fabriano, cold pressed


Dec 15, 2008

Neve em Casteição

Com a devida vénia, esta aguarela nasceu a partir desta bela foto e retrata uma perspectiva da Aldeia de Casteição, na Beira Interior. A julgar pelas fotografias da Mara, a Aldeia é um lugar extremamente pitoresco e está na minha lista de futuros destinos a visitar.

This watercolor was born from this beautiful photo and depicts one view of the village of Casteição in Northern Portugal. Judging from Mara’s work, this is one picturesque place which is on my list of future destinations to visit.

Aguarela, 13 x 18 cm, Papel Canson-Montval

Dec 12, 2008

Capela dos Milagres














A Capela da Nossa Senhora dos Milagres em Laceiras na Beira Alta data de 1680 e tem a sua festa anual a 15 de Agosto. Desta vez fiz um desenho preliminar a lápis para planear as areas claras e escuras.

This Chapel of Our Lady of Miracles in Beira Alta dates from 1680 and has an annual pilgrimage every August 15th. This time I did a quick pencil sketch to help plan the lights and darks.


Aguarela, 25 x 35 cm, papel Arches






Dec 10, 2008

Coimbra

Um fado diz que Coimbra tem mais encanto na hora da despedida. Concordo plenamente tendo lá passado quatro anos há muito tempo. Tomei coragem para tentar uma cena nocturna desta vez.

A song says that Coimbra is even more enchanting when the time comes to leave. I could not agree more having spent four years there a long time ago. I ventured to try a night scene this time.

Aguarela, 12 x 17 cm, papel Canson


Dec 9, 2008

Cabanas de Viriato

Penso que esta se chama Rua da Lavandeira, por certo devido ao enorme tanque que antes era usado para lavar roupa á sombra do chorão. O casarão amarelo domina a cena que felizmente não mudou muito nas últimas três ou quatro décadas.

This street in Cabanas de Viriato is named after the large water cistern that was used by local women to wash their laundry. The large yellow mansard towers over the scene which fortunately has not changed much in the last three or four decades.

Aguarela, 12 x17 cm, papel Canson Montval

Dec 6, 2008

Bairro dos Moleiros 2

Continuando a nossa viagem pelo Bairro dos Moleiros, esta casa fica do lado oposto da velha rua em frente daquela que aparece na postagem anterior e em similar estado de ruína. Olhando pelo lado melhor das coisas, os campos que rodeiam esta área, regados pela Ribeira de Beijós, parecem estar bem cultivados…ou pelo menos, menos abandonados.

Continuing our hike through “Miller’s Borough”, this house sits across the old street from the one depicted in the previous post, and in similar stage of ruin. On the bright side, the surrounding fields near the Beijós Creek, seem well cared for and cultivated.

Watercolor, 12 x17 cm, Papel Canson Montval

Dec 2, 2008

Bairro dos Moleiros 1

Continuando pela mesma estrada, cá cheguei ao Bairro dos Moleiros (ou o Bairro do Moleiro Novo). Uma das casas em mais degradado estado, esta cativou-me especialmente a atenção e fez-me pensar nas inúmeras cenas familiares que aqui terão possivelmente tomado lugar.
Neste pequeno trabalho procurei dar mais destaque ao lápis do que á aguarela.

Down the same road I came to the Bairro dos Moleiros or “Miller’s Borough” for the water mills along the creek. This is one of the most degradated houses which made me think of all the family scenes that may have taken place here. In this small sketch I tried to emphasize the pencil more so than the watercolor washes.

Lápis aguarelado 12 x17 cm, papel Canson-Montval